APENAS CONJECTURAS DE UM PRISIONEIRO




Como me preparei para isso?
Por que não grito?
Mesmo aquele grito mudo?
Como me preparei para isso?
Por que não saio?
Mesmo aquela saída furtiva?
Como me preparei para isso?
Por que não fui embora?
Mesmo não querendo ir?
 
Quando estarei livre desse aprisionamento livre?
Estou preso por escolha própria?
Por que não me lembro de ter escolhido isso?
Mas sei, no meu mais fundo íntimo, que escolhi!
E escolhi por amor! Amor a todos, a tudo , ao Um!
 
E assim vou caminhando no desconhecido.
Para criar um novo mundo, sem negatividade.
Só amor, só paz, só fraternidade.
E isso me consola, me acalma, me anima.
ME LIBERTA!
Esta entrada foi publicada em Meus poemas. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.