A DOR DA ALMA, Bill Shalders, 14/06/2018

Queridas almas. Hoje vou falar das dores desse mundo. É um tema que deveria ser muito longo, uma vez que há infinitas razões nesse mundo para que as dores apareçam em nossas vidas.

rei relembrando uma máxima Lei Cósmica, que é: NESSE MUNDO NADA É POR ACASO! Tudo tem uma razão de ser.

As dores mais comuns são aquelas que temos que passar devido a atos passados, que geralmente veem de outras encarnações – já passou da hora para crer na sua vida eterna, nas suas reencarnações, o que demonstra as razões das discrepâncias dos nascimentos nesse planeta -, pois todas as nossas ações que prejudicou alguém, devermos passar pela mesma experiência para aprender como aquelas ações machucaram, de alguma maneira, as outras pessoas. Só passando por elas é que aprendemos uma outra lei universal: a toda ação lhe corresponde uma reação que lhe é igual e contrária. Ou seja, tudo que vai, volta. Já falei isso em outros artigos, mas é sempre bom reforçar.

Então a variedade das nossas dores são iguais e contrárias as que fizemos outros passarem, nessa ou nas vidas passadas.

Assim fica explicado o porquê de tanto sofrimento nessa vida, se nos consideramos uma pessoa bondosa, caridosa, sem fazermos mal a qualquer pessoa! Foi o nosso passado, que poucos acreditam, que marcaram o nosso destino nessa vida.

E o mais importante: é a última vida sua nessa planeta da forma que está, uma vez que vivemos numa época de transição, de evolução do planeta Terra, pois na vida tudo evolui, obedecendo outra lei universal, e sim, a Terra tem um espirito que habita o seu corpo, conhecido como Gaia, assim como todos os astros no Universo.

Os que já leram a Bíblia – que foi desfigurada pelas religiões, mas ainda mantém partes das mensagens originais, canalizadas pelos que hoje ainda consideramos “profetas” – sabem da passagem da colheita, onde será feita a separação do joio do trigo. O trigo reencarnará na nova Terra, no planeta ascendido, e o joio será enviado para outros planetas que ainda vibram na mesma frequência, para continuarem numa escola que ensinam a mesma lição que não foi aprendida aqui: ame o próximo como ama a si próprio. Lição essa ensinada por Jesus.

Mas voltemos para as dores, ou ranger dos dentes, como gostam muitos leitores da Bíblia. A maior dor é aquela que não foi causada pelos atos de vidas passadas, mas que estão nos atuais “contratos de vida”! Sim, fazemos contratos antes de renascermos (os que tem essa prerrogativa), onde “prometemos” agir de certas formas, mas que a vida nos leva em direções contrárias.

Vou dar um exemplo. Uma alma coloca em seu contrato de vida uma clausula em que designa que nessa sua vida “acordará” para a magnanimidade do Criador, dedicando a sua vida para “trabalhar” a si, e se possível outras almas, geralmente familiares, na busca de Deus, de sua evolução, principalmente nessa, que é a última vida nesse tipo de orbe. Mas a vida lhe leva a destinos diferentes, e a sua “devoção” ao Criador, e até a sua própria evolução, fica esquecida, ou no mínimo relegada a um segundo plano, isso se atingir o segundo plano, pois às vezes até some, e a alma dedica-se inteiramente aos prazeres da carne, que são muitos.

Ai, conforme uma cláusula contratual, pois nada é por acaso, começasse um plano no astral para balançar as estruturas dessa alma. O estudo do plano é minuciosamente planejado, para que as possibilidades de erros serem a menor possível. Sim , queridas almas, acontecem imprevistos também nos planos dos Mestres no astral. Nem sempre tudo que é planejado no astral é executado com 100% de acerto na matéria. E é isso que fornece a dinâmica da vida! Caso contrário, seria monótono. Existem mundos assim, sem surpresas, mas aqui, na Terra, temos o “Livre Arbítrio”, que se por um lado torna as ações dessa vida incertas, dá uma dinâmica no seguimento da reencarnação. Lembrando que o “Livre Arbítrio” é somente com as suas reações sobre os acontecimentos previstos no contrato de sua vida!

Nesse plano para “acordar” ou “sacudir” a alma necessitada dessa ajuda, pode-se convocar alguma alma para fazer parte do plano. Um dos mais comuns é que essa alma aceite nascer como filho da alma que necessita da sacudidela para se virar para o Criador.

Então a criança nasce e vive o suficiente para os pais lhe amarem o suficiente e parte  de volta para o astral! Que dor maior um humano pode sentir ao perder um filho? Não é uma dor física, é uma dor interior, na alma, no coração, que remédio algum pode fazer passar, a não ser o remédio da fé! Da fé na vida eterna, pois só ela pode juntar as almas novamente.

Uma das primeiras reações de pais que “perdem” um filho é se perguntar: “O que eu fiz para merecer isso? Me responde Deus!” E assim Deus começa a entrar na sua vida novamente

É uma maneira drástica e cruel para “acordar” a alma dorminhoca?

Eu diria que drástica, sim, mas cruel, não. Seria mais cruel deixar aquela alma, já num estágio tão próximo de sua evolução, cair na malha da materialidade novamente, e ter o seu futuro prejudicado por somente atos de uma única encarnação.

Há outros modos de se “acordar” uma alma? Sim, muitas, e bem menos traumáticas, tal como fizeram comigo, que quase me enlouqueceu, mas o meu conhecimento espiritual e a minha “ousadia” em dialogar com os “Mestres” de igual para igual, colocando-os contra a parede para poder receber uma confirmação de quem eu era, pois foram “Eles” que me disseram, consegui obter a confirmação, o que me tirou do caminho da loucura, mas me trouxe uma enorme responsabilidade. Mas essa é outra história, e nesse artigo estou falando das dores das almas.

Há dores menos traumáticas, dependendo do nível de despertamento em que se encontra a alma, mas aqui resolvi mostrar uma das mais traumáticas, mas que no fim das contas é benéfica aos “afetados” por essa “dor”, pois foram beneficiados com uma ação do astral para “salvar” as suas encarnações, principalmente nesses tempos de evolução!

Espero ter esclarecido para algumas almas irmãs que passaram por essas experiências, traumáticas, mas salvadoras em sua maioria dos casos. E aqui também tem uma explicação para as almas que ainda não aceitaram a partidas de seus filhos, principalmente por não entenderem o porquê disso. Agora já sabem que o motivo foi lhes trazer novamente para o caminho do amor por todos, por nosso Criador, deixando o amor pelo prazer da matéria em segundo plano.

E assim é.

Bill Shalders, 14/06/2018

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

3 respostas para A DOR DA ALMA, Bill Shalders, 14/06/2018

  1. Solange Ribeiro Samis disse:

    É, meu querido… VIEMOS PARA NÃO REPETIR OS MESMOS ERROS, PORÉM MUITAS VEZES ESQUECEMOS QUE FIZEMOS UM ABORTO OU MATAMOS O FILHO DE ALGUÉM.
    DEUS É UM EDUCADOR E NUNCA CASTIGADOR.
    Nós estamos colhendo o que plantamos.
    E sem mais milongas, Sou Grata por Estar Caminhando por esta Estrada de Luz e encontrar Seres Iluminados Despertos como Você!
    Gratidão por tua Sabedoria Compartilhada.

    • Querida Solange, vou um pouquinho mais longe, pois sou ousado, uma vez que sou um fragmento divino da Divina Consciência Cósmica.
      Deus, como se chama, não é educador nem castigador, Ele/a é neutro, só observa, raramente intervém, por ser curioso/a, uma vez que criou tudo por pura curiosidade. Quem , na realidade, governa o mundo, os Universos, são as Leis Cósmicas, essas, sim, é que “educam” através da Lei Universal da ação e reação, como você bem disse: colhemos o que plantamos.
      Grato sou pelo seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.